Você não tem permissão para ver essa notícia

Lições dos desbravadores

Publicação da KPMG discute o futuro do setor de Recursos Humanos.

pessoa sentada de costas em postura de meditação e com o mar na sua frente

30 de novembro de 2021


A transição do trabalho presencial para o remoto, ocasionada pela pandemia e viabilizada pela automação, foi um grande desafio para diversas empresas.

Por outro lado, algumas instituições aproveitaram este cenário para se destacar em seus respectivos setores. Assim, usaram a disrupção como um catalisador para a mudança, reimaginando a força de trabalho e o modelo operacional da organização.

Pensando nisso, a KPMG International realizou entrevistas aprofundadas com 18 líderes mundiais em RH, os considerados “desbravadores”. Este termo se refere às organizações de RH que se concentram em recursos integrados e que se apoiam mutuamente, com o uso e o aproveitamento da experiência dos funcionários, da análise de dados, da criação de uma força de trabalho, do RH digital e do aprendizado.

Os insights obtidos nas conversas contribuíram para o desenvolvimento do material “O futuro do RH: lições dos desbravadores”. Algumas das conclusões indicam que:

  • Os desbravadores se mostraram mais otimistas em relação ao futuro e mais propensos a adotar tecnologias de ponta do que seus pares.
  • Eles responderam mais rapidamente à pandemia do que as demais organizações.
  • Essas empresas acreditam que quanto maior a inclusão, diversidade e equidade, mais enriquecedor tende a se tornar o ambiente das organizações.
  • Os desbravadores apresentam uma nova mentalidade para a gestão de talentos.
  • Para ajudar os funcionários a se adaptarem à disrupção, essas organizações estão experimentando novas maneiras de trabalhar e tecnologias emergentes.

Quer saber mais? Então clique aqui e acesse o estudo “O futuro do RH: lições dos desbravadores”.

()