Você não tem permissão para ver essa notícia

ESG na América Latina

Análise da KPMG mostra a preocupação das empresas latino-americanas com aspectos ESG.

uma mulher sentada em uma pedra no alto de uma montanha

28 de outubro de 2021


Tema cada vez mais presente no mundo corporativo, as mudanças climáticas representam um risco financeiro para os negócios, de acordo com a avaliação de um terço das empresas na América Latina. No Brasil, o número de companhias preocupadas com esses riscos é ainda maior, atingindo a casa dos 46%.

A conclusão é do estudo Chegou o momento: avanços e desafios da gestão corporativa em aspectos de ESG na América Latina, realizado pela KPMG, com base na análise de relatórios sobre ações ambientais, sociais e de governança corporativa. O recorte latino-americano foi feito com base na pesquisa global The time has come: The KPMG Survey of Sustainability Report 2020, que traz uma visão das tendências em sustentabilidade a partir de relatórios de mais de 5.200 empresas de 52 países.

A análise da América Latina levou em conta oito países: Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Panamá e Peru, mostrando que mais da metade das organizações (55%) divulga relatórios corporativos sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. No Brasil, esse índice é de 67%. O país com maior destaque nesse quesito é o México, com 83%.

O estudo da KPMG sugere, porém, que os relatórios corporativos sobre os ODS se concentram nas contribuições positivas que as empresas fazem para alcançar as metas da ONU, mas não têm transparência na apresentação dos impactos negativos.

Clique aqui para acessar a análise completa da gestão corporativa em aspectos de ESG na América Latina.

()