Você não tem permissão para ver essa notícia

Como proteger o futuro hiperconectado

Estudo da KPMG aborda os desafios de uma sociedade cada vez mais dependente de tecnologia.

foto de uma ponte sobre o mar a noite

19 de outubro de 2021


A digitalização avançou muito durante a pandemia, e o impacto da tecnologia se faz cada vez mais presente nos negócios e na sociedade. Além das novas possibilidades de conexão e ferramentas, surge também a necessidade de garantir a proteção e a segurança diante de novas ameaças cibernéticas.

Um exemplo importante é o ransomware, software malicioso que geralmente bloqueia o acesso a sistemas de computador ou dados valiosos, que paralisa processos e solicita pagamentos para reestabelecer as funções e recuperação dos dados.

Para abordar esse e outros desafios de uma sociedade conectada e dependente da tecnologia, a KPMG desenvolveu o estudo “Protegendo um mundo hiperconectado: como se preparar e responder a ataques cibernéticos direcionados a infraestruturas críticas”.

De acordo com a publicação, quando o assunto é preparação e resposta estratégica aos desafios de segurança cibernética, não há tempo a perder. Por isso, a KPMG reuniu insights sobre como as organizações podem se preparar diante dessas ameaças.

Estabelecer um apoio ao programa de segurança cibernética e definir as capacidades da organização para lidar com a rápida evolução de ameaças são alguns dos insights.

A publicação também traz perguntas que precisam de atenção durante essa fase de preparação, como: Você identificou os riscos cibernéticos aos quais o seu controle de rede está exposto e está trabalhando ativamente para mitigá-los? Existe um inventário de ativos atualizado na sua rede de controle? Quais métodos são usados para aplicar atualizações de segurança?

Para acessar a publicação na íntegra, clique aqui.

()