Você não tem permissão para ver essa notícia

Pagamento baseado em ações

Estudo da KPMG aborda a remuneração por meio de ações e identifica soluções de negócios.

mulher de cabelos lisos olhando para o celular

27 de setembro de 2021


Com mercados cada vez mais complexos e sofisticados, a busca por novas soluções e inventivos para o crescimento financeiro é imprescindível. Assim como a retenção de talentos e continuidade dos negócios. Para analisar os desafios ao oferecer bons incentivos, a KPMG desenvolveu o estudo “Soluções de negócios em pagamento baseado em ações”.

A publicação aborda, também, a importância de mudanças tributárias, aplicações das normas contábeis, desafios em modelos de ações, além de observar como as complexidades envolvidas no valuation das empresas afetam decisões de gestão.

Observados pela primeira vez na década de 1960 nos Estados Unidos, os pagamentos baseados em ações não demoraram em avançar pelo mundo. Atualmente, essa prática se aplica com o pronunciamento técnico CPC 10 (R1) – Pagamento Baseado em Ações e a correlação às normas internacionais de contabilidade IFRS 2 (IASB – BV 2010).

Entre os principais desafios para o modelo de pagamento, a publicação destaca as questões referentes às normas internacionais de contabilidade, e a mensuração do plano na data da outorga ou em datas subsequentes. Com isso, dependendo dos contratos, as conclusões contábeis podem ser diferentes. Os impostos e encargos trabalhistas também tem influência no plano de opção de compra de ações.

A assessoria contábil, tributária e trabalhista, pode ser destacada como solução para o tema. A KPMG apresenta, ainda, soluções para os modelos e valuation em seu estudo.

Confira a publicação completa, clique aqui.

()