Você não tem permissão para ver essa notícia

Alianças na indústria automotiva

Estudo indica mudanças entre as alianças e aponta os desafios no setor.

imagem de metade de um carro em um fundo preto

05 de julho de 2021


As empresas do setor automotivo buscam por consolidação para a próxima era da indústria e, para isso, é preciso superar o choque de cultura que existe no processo para criar alianças.

Historicamente as alianças se concentravam em projetos para criação de veículos ou componentes específicos, para acompanhar as transformações, será fundamental estabelecer parcerias pensando na inovação e tecnologia.

O estudo Bridging the culture gap in auto aliances, produzido pela KPMG, destaca como esse processo vem mudando. Segundo a publicação, as montadoras precisam de parceiros para projetar e produzir veículos elétricos, autônomos, e que pensem em outros tipos de automóveis que atendam as necessidades atuais de mobilidade.

Para que os parceiros das aliança possam criar uma cultura que muda de "eles contra nós" para "juntos?” é preciso ter foco nas pessoas e na cultura de planejamento. Lideranças da indústria e profissionais das empresas envolvidas na aliança podem criar um ambiente de colaboração mútua para que ambos os lados possam gerar valor com novas propostas.

Essa união representará uma nova cultura baseada em colaboração, e é importante considerar alguns pilares, como compromisso com a mudança, continuidade dos projetos, respeito e a capacidade de assumir riscos.

Acesse o estudo completo e confira todos os insights, clique aqui.

()