Você não tem permissão para ver essa notícia

Empresas esperam voltar aos escritórios no segundo semestre

Em nova edição, pesquisa da KPMG revela que a tendência é adotar sistema híbrido de trabalho, mantendo parte dos funcionários em home office.

mulher negra de cabelos cacheados veste roupa social e máscara de proteção, ela está sentada atrás de uma mesa de escritório que tem um notebook em cima

18 de junho de 2021


A maioria dos empresários ouvidos pela KPMG em março deste ano (39%), em vários estados brasileiros, informa que, com o início da vacinação, o retorno do trabalho nos escritórios deve acontecer no segundo semestre. Para um terço dos entrevistados, a volta deve ocorrer somente em 2022.

Em sua quinta edição, a pesquisa Como será o retorno aos escritórios teve a participação de 360 empresários brasileiros, de diversos setores econômicos. Mais de 70% deles informaram que o anúncio da circulação de novas cepas do coronavírus afetou o cronograma de volta ao trabalho presencial. Revelaram, também, que serão mantidos os procedimentos para conter a disseminação do vírus, como uso de máscaras de proteção e utilização de álcool em gel. 

O estudo detectou, ainda, que o home office imposto pela pandemia trará uma mudança no sistema de trabalho. Segundo 33,5% dos entrevistados, o trabalho em casa será mantido em três dias da semana, frequência que diminui para duas vezes de acordo com 23,8% dos empresários.

“Ficou claro que o sistema híbrido de trabalho, com parte remota e parte presencial, é uma tendência que veio para ficar”, afirma Jean Paraskevopoulos, sócio de Clientes e Mercados da KPMG no Brasil e na América do Sul.

Para acessar a pesquisa, clique aqui.

()