Você não tem permissão para ver essa notícia

Private Enterprise

Empresas familiares liderando o retorno

Mudança é essencial para sobrevivência na nova realidade.

19 de maio de 2021
ilustração de ondas abstratas

O envolvimento das famílias nos negócios e o foco em longo prazo foram fundamentais para demonstrar resiliência durante a pandemia. Mais resilientes, ágeis e adaptáveis, as empresas familiares contam com as ferramentas necessárias para superar desafios e caminhar rumo à recuperação econômica, como destaca o relatório Liderando o retorno: como as empresas familiares estão triunfando sobre a Covid-19.

O novo estudo faz parte da série de publicações desenvolvidas pela parceria Consórcio Global do Projeto Successful Transgenerational Entrepreneurship Practices (STEP) e a KPMG Private Enterprise. Essa edição busca se aprofundar nos insights que ajudam as empresas familiares a aprender com as experiências observadas ao redor e compartilhar orientações para o futuro.

Exercer paciência, ser socialmente responsável e transformar a empresa: essas foram as três principais estratégias utilizadas pelas empresas familiares para lidar com os impactos da Covid-19, identificadas pelo estudo. Reduzir a receita foi uma realidade para 69% das empresas que participaram da pesquisa. Apenas 9% tiveram um aumento na receita. Para as demais 22%, os rendimentos permaneceram iguais.

A força de trabalho também foi impactada no último ano. Além de 46% dos funcionários transferidos para o home office, 8,56% das empresas familiares reduziram seu quadro de funcionários – 41% dos entrevistados relataram a necessidade de tomar decisões para reduzir custos.

Confira o estudo completo clicando aqui.

No Brasil

A partir dos dados globais de quase 2.500 empresas familiares e mais de 500 empresas não familiares, a KPMG no Brasil desenvolveu um relatório com um importante comparativo de países, destacando o impacto da Covid-19 e as ações das empresas familiares no Brasil.

Segundo os dados registrados no Relatório global de empresas familiares: Edição sobre a Covid-19 | Dados de benchmarking do país – Brasil, a maioria das empresas brasileiras em análise, 79%, possui uma geração atuante no momento. Entre todas as empresas, 68% indicaram impactos da Covid-19 na receita dos negócios, assim como no estudo global. E a principal resposta para a crise (44%) foi cortar despesas de escritório.

O estudo destaca a necessidade de envolvimento dos líderes nos negócios em meio à crise. Para ajudar a diagnosticar e resolver problemas, membros das famílias empresárias brasileiras concentraram seus esforços dentro das empresas.

O recorte nacional é um complemento para a publicação global. Clique aqui para acessar.

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.