Você não tem permissão para ver essa notícia

WCD

Por mais diversidade nos Conselhos de Administração

Instituições convidam o mercado a refletir sobre os benefícios de boards mais diversos nas empresas.

8 de fevereiro de 2021
na imagem, há um aperto de mão na frente e no fundo há várias silhuetas de pessoas em pé, homens e mulheres

Apenas 11,5% das posições em conselhos das empresas abertas brasileiras são ocupadas por mulheres, segundo o estudo Board Index 2020 da Spencer Stuart. E para promover a diversidade nos Conselhos de Administração, o Programa Diversidade em Conselho (PDeC) publicou uma carta convidando o mercado a refletir sobre o assunto.

Formado pelas instituições WCD (WomenCorporateDirectors), IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), B3, International Finance Corporation (IFC) e Spencer Stuart, o PDeC espera que os tomadores de decisão levem mais diversidade para seus boards.

Certas de que a mudança desse cenário impacta positivamente o desempenho das empresas e traz mais inovação para os negócios, essas instituições pedem mais diversidade de gênero, cor, etnia, orientação sexual, formação, idade e região. A KPMG, que é patrocinadora global da WCD, endossou a carta: “Acreditamos que, somando esforços, é possível atingir mudanças significativas”, afirma Marienne Coutinho, sócia-líder de Tax Transformation da KPMG no Brasil e co-chair da WCD no Brasil.

Além da KPMG, outras entidades apoiaram publicamente a iniciativa, entre elas Bradesco, Itaú BBA, BMG, J.P Morgan, BlackRock, ABVCAP e ANBIMA.

Clique aqui e leia a carta na íntegra.

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.