Você não tem permissão para ver essa notícia

Energia e Recursos Naturais

Repensando as fontes de energia

KPMG lança estudo sobre a Descarbonização e Energias Renováveis na América do Sul.

8 de janeiro de 2021
homem com chapéu de segurança olha para o horizonte ao lado de torres de energia eólica

As emissões de poluentes de dióxido de carbono foram reduzidas substancialmente em todo o mundo durante a primeira fase da crise e o contexto "pós-pandemia" oferece uma oportunidade incomparável de promover a transição para as energias renováveis.

O estudo Descarbonização e Energias Renováveis na América do Sul, produzido pela KPMG, analisa o caminho que a região está trilhando para investir e incorporar fontes renováveis aos serviços de energia.

A capacidade da América do Sul de geração de energia renovável evoluiu nos últimos anos. Segundo dados divulgados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), 60% do consumo energético da região provem de fontes renováveis, principalmente hidrelétricas, enquanto a média global gira em torno de 25%.

Para continuar evoluindo e caminhar para uma matriz energética mais limpa, é importante que os governos considerem as energias renováveis como parte de um plano de desenvolvimento, e incluam investimentos voltados para alternativas que permitam a transformação gradual dos sistemas para estruturas mais modernas e resilientes.

Saiba mais aqui.

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.