Você não tem permissão para ver essa notícia

ACI

Assembleias virtuais

Os desafios impostos da pandemia ajudaram a acelerar a demanda pelo serviço.

29 de julho de 2020
Mulher de máscara

A Covid-19 trouxe ainda mais instabilidade ao ambiente de negócios. Acelerou tomadas de decisão, impulsionou mudanças até então postergadas e tem colocado à prova a habilidade das companhias de se adaptarem às novas tecnologias.

Diante dessa mudança brusca de cenário, empresas e órgãos reguladores precisaram repensar o modelo das Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs) e Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs), inicialmente programadas para acontecerem presencialmente entre os meses de abril e maio.

O tema das assembleias virtuais já estava em discussão por alguns acionistas, na sua maioria minoritários, com o objetivo de facilitar e aumentar a sua participação. Dadas as restrições sociais impostas pelo coronavírus, essa demanda se acelerou rapidamente, tornando-se realidade em pouquíssimo tempo.

Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui.

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.