Você não tem permissão para ver essa notícia

KPMG Live

Outubro Rosa e mulheres na liderança

Confira o KPMG Live com a participação da médica Nicolle Laffi e da sócia Estela Zanata.

23 de outubro de 2020

Em 1990, a Fundação Susan G. Komen for the Cure criou a "Corrida pela cura", em Nova York, para arrecadar fundos para pesquisas voltadas à cura do câncer de mama. Naquele momento, também foi criado o famoso laço rosa, que era distribuído aos participantes da corrida. O movimento Outubro Rosa ganhou projeção mundial e é tema de muitas campanhas de conscientização no período.

É o que destacou a médica Nicolle Laffi, consultora da AON, durante o último KPMG Live. O programa de entrevistas da KPMG foi realizado em 23 de outubro com apresentação de Jean Paraskevopoulos, sócio-líder de Clients & Markets, e Franceli Jodas, sócia-líder de Power & Utilities da KPMG no Brasil.

Nicolle abordou a importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama. “Quanto antes se consegue identificar o câncer de mama, mais cedo e maiores as chances de cura”, disse.

Ela também alertou sobre a relevância da doença, que atinge 66 mil mulheres por ano, e falou sobre as principais causas, formas de prevenção, sintomas, diagnóstico e evolução no tratamento da doença.

O programa também recebeu a sócia de Tax da KPMG no Brasil, Estela Zanata. Ela ainda é colíder do KNOW (KPMG Network of Women), pilar do Comitê de Inclusão e Diversidade que coordena as iniciativas voltadas à equidade de gênero na KPMG.

Nesse bate-papo, Estela falou da importância do Outubro Rosa para a KPMG, que, em seu quadro de funcionários, tem 48% de mulheres. Ela também abordou a importância da diversidade, de ter mulheres na liderança e as ações do KNOW, dentro e fora da KPMG, para reforçar o networking e apoiá-las em suas carreiras.

A sócia ainda destacou o movimento He for She, no qual os homens apoiam e dão voz às mulheres, e o patrocínio à WCD (WomenCorporateDirectors), entidade global que fomenta a participação de mulheres em conselhos de administração.

Confira a íntegra do programa:

 

Câncer de mama em números

Cerca de 66.280 mulheres desenvolverão câncer de mama a cada ano, entre 2020 e 2022, de acordo com estimativas do INCA.

45% dos casos são identificados em grau avançado.

Aproximadamente 15 mil mulheres morrem por ano no Brasil em decorrência da doença.

88% de chance de sobrevida em 5 anos se o câncer for detectado precocemente.

30% dos casos podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como a prática de atividades físicas, alimentação balanceada, manutenção do peso adequado e não consumo de bebidas alcoólicas.

Leia também:
A mulher e o câncer de mama no Brasil
Fonte: INCA

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.