Você não tem permissão para ver essa notícia

Nova edição Third Party Risk Management

Estudo da KPMG traz diretrizes para o gerenciamento de riscos de terceiros.

duas pessoas no alto de uma montanha uma ajuda a outra a escalar

16 de outubro de 2020


As redes de terceiros são fundamentais para a atuação empresarial. Essa relação com fornecedores garante novas oportunidades de oferta de serviços e produtos distintos para os clientes. Distribuidores, agentes, joint ventures, vendedores, alianças, subcontratados, prestadores de serviços, entre outros, são responsáveis por agregar valor aos negócios e consolidar a competitividade.

Com a crescente parceria entre empresas, aumenta também a necessidade de implantar uma estratégia para aprovação e gerenciamento de terceiros, tornando essenciais os Programas de Third Party Risk Management (TPRM).

A KPMG lançou a nova edição do estudo Third Party Risk Management Outlook 2020, para compartilhar uma análise detalhada para que as empresas possam enfrentar desafios nessa jornada de implementação de programas TPRM com resiliência. O estudo traz dados de 1.100 executivos seniores de grandes empresas de diferentes setores, situadas em 14 países.

Risco reputacional da marca, riscos tecnológicos, de privacidade, operacionais, regulatórios, de compliance e financeiros são os principais pontos monitorados com uma estratégia aplicada de TPRM. Com a gestão direcionada, é possível compreender como os terceiros armazenam e transmitem dados, em qual ambiente de controle e quais requisitos devem ser negociados em contrato.

De acordo com o estudo, 57% dos respondentes acreditam que sua organização está muito longe de ter um contrato de toda a empresa para serviços que podem ou não podem ser terceirizados. A KPMG possui uma metodologia para implementar programas de TPRM ao redor do mundo, e os profissionais estão preparados para auxiliar nesse processo.

Acesse aqui o estudo completo e saiba mais.

()