Você não tem permissão para ver essa notícia

Mercados Industriais

AVRI 2020 evidencia o avanço dos veículos autônomos

Estudo avalia a preparação dos países para a adoção da tecnologia.

17 de setembro de 2020
ilustração de um carro

Integrar os veículos autônomos ao dia a dia das cidades depende de transformações em diversas esferas da infraestrutura e do desenvolvimento dos países. A edição de 2020 do estudo Índice de Prontidão para Veículos Autônomos, produzido pela KPMG, traz novas expectativas para o progresso da tecnologia.

A pandemia da Covid-19 impactou a sociedade e os modelos de negócios no mundo todo, inclusive os hábitos dos usuários quanto às opções de transporte. Com mudanças em requisitos ambientais e de segurança sanitária, o estudo concluiu que o processo de integração dos veículos autônomos pode se acelerar.

A terceira edição do estudo realizou a análise a partir de quatro pilares principais: política e legislação, tecnologia e inovação, infraestrutura e aceitação do consumidor. Com essa base, foi possível avaliar o progresso de 30 países para adoção dessa opção de transporte.

“Olhando para o futuro, os veículos sem motorista poderão ter um papel ampliado no atendimento dos novos requisitos de movimentação de pessoas e mercadorias, decorrente da pandemia da Covid-19”, explica Richard Threlfall, chefe global de Infraestrutura da KPMG International.

Quais são os países mais preparados?

Os países mais preparados se destacam pelas políticas públicas relacionadas à regulação, pela infraestrutura adequada e aceitação dos consumidores, dispostos a adotar a nova tecnologia.

O ranking de 2020 dos países mais bem posicionados para impulsionar o desenvolvimento dos veículos autônomos tem um novo líder: Cingapura, que no ano anterior ocupou o segundo lugar. E também inclui cinco novos países no ranking: Bélgica (21ª posição), Chile (27ª), Dinamarca (10ª), Itália (24ª) e Taiwan (13ª).

Na edição anterior, o Brasil apareceu em 25º. Este ano, o país está classificado na posição 30, último país entre os listados pelo estudo. “Ainda não vemos nenhuma política pública em torno da criação de vias para os veículos autônomos começarem a operar nas cidades”, comenta Maurício Endo, líder de Governo da KPMG no Brasil e na América do Sul.

O AVRI 2020 traz um diferencial para esta nova edição. Cinco cidades foram elencadas com base em trabalhos interessantes relacionados a veículos autônomos realizados pelos seus governos locais: Pequim (China), Detroit (Estados Unidos), Helsinque (Finlândia), Pittsburgh (Estados Unidos) e Seul (Coreia do Sul).

Para conferir o estudo completo, clique aqui.

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.