Você não tem permissão para ver essa notícia

As novidades na Auditoria

Especialistas da KPMG e convidados trazem novidades, dicas e tendências nos processos de Auditoria. 

Quatro homens em torno de uma mesa com microfones de rádio.

11 de novembro de 2019


“Debates, opiniões, insights... Começa agora KPMG Live.”

Quando a vinheta entra no ar, as cadeiras se acomodam em torno da mesa sobre a qual está toda a parafernália de equipamentos de emissora de rádio. 

Com fones de ouvido, os líderes (âncoras) da KPMG no Brasil, André Coutinho, sócio-líder de Clientes e Mercados, e Carlos Gatti, de Advisory e Inovação, começam o programa, que lembra um bate-papo, em que antigos amigos são apresentados a novos amigos – neste caso, os ouvintes da Rádio KPMG Brasil.

O KPMG Live, programa ao vivo que anima o fim da tarde das quintas-feiras, a cada quinze dias, no App KPMG Brasil, trouxe nesta quinta a importância da auditoria para o mercado de capitais e como fica o papel do auditor em tempos de inovação e transformação digital.

Carlos Pires, sócio-líder de Auditoria, e Márcio Santos, sócio-líder de Inovação para Auditoria, da KPMG no Brasil, foram os convidados.

 

A vida, a carreira, os hobbies. Um pouco da história de Carlos Pires, aqui na Rádio KPMG Brasil.

Carlos Pires começou na KPMG há 32 anos, após trabalhar como office-boy. É casado há 26 anos e tem duas filhas, que não seguiram a carreira do pai. É corinthiano roxo e bastante dedicado a um projeto social, do qual é cofundador. Gosta de tênis, leitura, vinhos e de ouvir música em vinil. Tem mais de 500 discos.

 

A pessoa, o profissional. De volta com o Lado B, Márcio Santos conta sua vida e carreira.

Márcio Santos, que é de Santa Rita do Passa Quatro, no interior de São Paulo, começou na KPMG há 21 anos, atuando em São Carlos e Campinas. Trabalhou em Nova York por dois anos e tornou-se sócio-líder em 2015.
Casado, tem um filho de 4 anos, que ocupa boa parte do seu tempo livre. Produzir cerveja artesanal é um dos seus principais hobbies.

Neste bloco, você ouve O Samba da Minha Terra, interpretado por Rosa Passos, cantora escolhida por Carlos Pires, que ressalta a brasilidade no ritmo do jazz e da bossa nova. “A influência da bossa nova traduz um pouco essa sobriedade de que precisamos depois de um dia turbulento nas nossas vidas cotidianas”, revela.

 

O papel do auditor

Carlos Pires conta sobre sua atuação como presidente da 5ª seção do IBRACON (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil), que é a maior regional da entidade e trabalha para fortalecer o papel do auditor, disseminando conhecimento e fazendo a interlocução com os reguladores e agentes, sendo de fundamental importância para o mercado de capitais.

Márcio Santos explica que o papel do auditor é ajudar as empresas e o mercado regulado a traduzirem o que é e como está uma empresa e o seu resultado por meio da informação financeira. “É garantir a transparência do mercado, dando a certeza para quem investiu em uma empresa, ou é o dono, de que a informação está correta.”

Neste bloco, você ouve Nirvana, The man who sold the world, escolhida por Márcio Santos.

 

O novo perfil do auditor. E o que há de novo nos processos de auditoria.

Márcio Santos comenta que há um caminho enorme para ser seguido, porque a formação do auditor, hoje, ainda não está aderente ao que vai acontecer com o mercado no futuro. “A gente está se reciclando no meio do caminho, trocando a roda do carro com ele andando”, comenta. Para ele, a pirâmide na auditoria vai se remodelar e ainda não se sabe como vai ficar.

Quanto às novidades na auditoria, foram citados os lançamentos da KPMG que trazem inteligência artificial, data analytics, robotização e automação nos processos de auditoria, que ajudam a mudar a forma e o modelo dos procedimentos, oferecendo muito mais eficiência e qualidade. 

 

Via WhatsApp

Luciano Medeiros, sócio de Auditoria em La Paz, na Bolívia, perguntou “se existe uma relação entre ganho de confiança para os usuários e eficiência para os trabalhos de auditoria com o crescente uso de tecnologia”.

Marlon Ramos, sênior de Auditoria em Belo Horizonte, perguntou “como toda essa transformação pode impactar financeiramente o trabalho e que investimentos estão sendo feitos pela KPMG”. E Coutinho acrescentou: “Como os clientes se beneficiam com essa nova forma de auditar?”

Ouça as respostas de Carlos Pires e Márcio Santos e fique com Under Pressure, Queen, indicada por Ricardo Pascoal, sócio de Tax e líder de Life Sciences, que brincou explicando que a música foi escolhida porque é como se sente a cada fechamento e início de ano fiscal.

Lembrando: essas músicas e todas as outras indicadas estão no Spotify

 

Quer ouvir sua música preferida no próximo KPMG Live? 

Comente abaixo, colocando nome da música, do cantor ou da banda e a razão para sua escolha. Se você for sorteado, sua história será contada no próximo KPMG Live, que acontece em 21/11, às 17h30, aqui na Rádio KPMG Brasil.

 

Por que é importante falar de raça? 

No próximo KPMG Live, receberemos a ex-líder e o atual líder do pilar Ebony do Comitê de Inclusão & Diversidade da KPMG no Brasil, que trata de questões relacionadas à raça e etnia.

Franceli Jodas, sócia de Mercados na KPMG no Brasil, e Lucas Arruda, sócio-diretor, líder do Ebony, são os convidados para o próximo KPMG Live. 

Participe! Envie perguntas para o WhatsApp (11) 94377-5267.
 

Nenhum ()