Você não tem permissão para ver essa notícia

Notícias

Tecnologia em óleo e gás

Líder de Energia e Recursos Naturais, Manuel Fernandes comenta tendências do setor.

7 de novembro de 2018

“O Brasil possui reservas de altíssima qualidade”, lembrou Manuel Fernandes, sócio-líder de Energia e Recursos Naturais da KPMG no Brasil, ao pontuar as oportunidades do país no setor de óleo e gás. O sócio explica que o mercado voltou a ser bastante atrativo por conta de mudanças recentes, como o fim do operador único no pré-sal, a flexibilização do conteúdo local e a maior previsibilidade.

Outro fator que contribui para o desenvolvimento do setor é a alta tecnologia implantada nos processos. De acordo com Fernandes, inteligência artificial, robotização, Data & Analytics e sensores nos equipamentos já são recursos utilizados em larga escala.

Ele lembra, no entanto, que a presença da inovação tecnológica demanda maiores cuidados com a segurança cibernética. “É uma grande preocupação de todos os CEOs das companhias de energia ter seu cyber security perfeito”, esclarece.

Dentre as mudanças apresentadas por Fernandes, o consumo é um fator que vem se modificando com o passar dos últimos anos, tendo em vista as expectativas de mercado para a comercialização de carros autônomos e elétricos. “Esse setor está numa jornada rumo à descarbonização, e isso significa achar outras fontes de energia. Então você vai ver empresas tradicionais de óleo e gás investindo em energia eólica e outras fontes, exatamente para atender às aspirações de um setor mais sustentável”, conclui.

Energia e Recursos Naturais

O sócio-líder de Energia e Recursos Naturais da KPMG no Brasil, Manuel Fernandes, participou da 7ª Conferência de Energia e Recursos Naturais da América Latina, que ocorreu no Rio de Janeiro em 30 de agosto. Durante sua palestra, destacou as estatísticas de desenvolvimento do pré-sal nos últimos anos, que hoje corresponde à 53% da produção do país.

Ele também apresentou um panorama sobre os investimentos em fontes renováveis, além de destacar os quatro principais desafios para o setor de energia: a digitalização, a descentralização, a descarbonização e a democratização.

No vídeo a seguir, Fernandes fala sobre oportunidades no setor. Assista!

Leia também:
Líderes em debate
Transformação iminente – entrevista com o sócio-líder de Energia e Recursos Naturais da KPMG na América Latina, Martiniano Lopes
Disputas econômicas – o cientista político norte-americano Cristopher Garman fala sobre os impactos da geopolítica no setor de energia
Revolução tecnológica - Líder global Regina Mayor comenta os impactos da disrupção no setor de energia e recursos naturais

()

Este site utiliza cookies para proporcionar a funcionalidade necessária e aprimorar sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar pelo site, você concorda com a utilização de cookies conforme descrito na declaração de privacidade on-line da KPMG. Você tem o direito de acessar seus dados pessoais para que sejam modificados, corrigidos ou excluídos. Para isso, você deve entrar em contato com privacidade@kpmg.com.br.