Você não tem permissão para ver essa notícia

O papel das empresas familiares na retomada da economia

Publicação da KPMG aborda desafios e expectativas para a retomada.

ilustração de formas geométricas que formam uma seta apontando para cima

03 de junho de 2022


Assim como outras corporações, as empresas familiares ao redor do mundo foram atingidas negativamente desde a chegada da primeira onda da pandemia de covid-19, em 2020. Nesse período, todos os setores sofreram com a instabilidade do mercado e com as incertezas sobre os novos modelos de negócio.

Nos últimos dois anos, foi o suporte dos programas governamentais de cada país que contribuiu para evitar o encerramento de muitas empresas familiares. De acordo com a publicação da KPMG global Trilhando um Novo Caminho, os subsídios salariais dos governos ajudaram também a manter muitos funcionários empregados nas suas organizações.

A publicação traz quais são os próximos passos dos governos e das empresas familiares para recuperação dos recursos públicos disponibilizados nos programas de apoio, e as reflexões presentes nas pautas globais sobre como restabelecer os cofres públicos sem recorrer à tributação.

Os profissionais tributários da KPMG Private Enterprise destacam a responsabilidade de auxiliar os governos no reconhecimento do poder que as empresas familiares têm na contribuição para a estabilidade econômica e social.

Confira na íntegra a publicação da KPMG, Trilhando um Novo Caminho. Clique aqui!

()